LAREIRAS

Em regiões mais frias, às vezes é necessária uma ajuda no aquecimento dos ambientes e, para tanto, as lareiras são ótimas opções, pois existem diversos tipos e modelos que se encaixam em qualquer espaço de uma residência. Existem quatro tipos principais de lareiras, cada um atende melhor a um tipo de exigência e estas podem ser personalizadas ao gosto do cliente, tanto em relação a revestimentos até iluminação.

            A lareira a lenha é a mais tradicional e ainda é bastante utilizada, apesar de, cada dia mais, estar entrando em desuso, pois vai de encontro com os preceitos ecológicos de preservação ambiental. Esta pode ser construída em alvenaria ou em aço, que possuem maior desempenho térmico que as lareiras de alvenaria, além de possuírem o aroma e som inconfundíveis da lenha crepitando. Este modelo possui um ótimo desempenho térmico, ideal para distribuir calor em ambientes bem frios, porém requerem dutos de exaustão ou chaminé para que a fumaça possa ser levada para fora dos ambiente, além de um para guardar a madeira que vai ser queimada que seja freqüentemente limpo e arejado, assim como a limpeza das cinzas e da manutenção da chaminé.

            A lareira ecológica tem sido bastante procurada no mercado, pois, além de sua praticidade de construção – sendo necessária apenas uma caixa de pedra e instalação de uma peça de inox -, utiliza álcool ou etanol para acender e manter o fogo e o este não produz cheiro nem fumaça, portanto não existe necessidade de fazer um duto, sendo apenas necessário espaço para estocar o álcool. Outra vantagem que tem atraído muitos consumidores a adquirirem este modelo é a possibilidade de carregar esse tipo de lareira para qualquer lugar. Além disso, este modelo pode ter acendimento por controle remoto e ser acoplado em estruturas de alvenaria ou embutida em outros materiais resistentes ao calor, apenas sendo sugerido um anteparo de vidro por segurança, portanto é um modelo muito versátil e a potência de seu calor é média.

            Outra opção para quem não gosta de fumaça dentro de casa é a lareira a gás, que pode ser alimentada por gás natural ou GLP – o gás de botijão. No caso de lareiras a gás em prédios, é preciso ter cuidado para que o ponto de gás seja aprovado pelo condomínio e necessita de registros e tubulação próprios. Este tipo de alimentação conta com dois modelos: lareira linear ou lenho cerâmico. No modelo linear são utilizadas pedras vulcânicas colocadas sobre os queimadores para reterem o calor, e sugerimos uma manta anti-chamas colada sob as pedras, para que possíveis acidentes sejam evitados; já o lenho cerâmico, são pedaços de lenha artificial que apenas simulam uma lareira a lenha, pois a cerâmica não chega a queimar de fato. Ambos os modelos podem ser instalados em qualquer ambiente e basta um botão para ligá-los, porém deve-se respeitar a distância mínima de 60cm entre as chamas e qualquer aparador superior, como o mármore.  

           Por último, existem as lareiras elétricas, que, na realidade, funcionam como aquecedores, esquentando um filamento de metal ou placas de aço com eletricidade e, assim, irradiam o calor para o ambiente. Estas utilizam imagens 3D simulando labaredas e são acionadas por controle remoto, porém consomem energia elétrica, o que afugenta muitos daqueles que buscam por uma lareira alternativa.